Notícias

Pecuária terá três linhas especiais no PAP 2014/15

O Planto Agrícola e Pecuário (PAP) 2014/2015 traz novidades para o segmento da bovinocultura de corte. Este ano o Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) contemplou o segmento com três linhas de financiamentos, uma para aquisição de animais para engorda, uma para retenção de matrizes e outra para aquisição de matrizes e reprodutores.

De acordo com o anúncio do Ministro Neri Geller, os criadores poderão financiar a aquisição de animais para engorda em regime de confinamento; a retenção de matrizes (com até três anos para pagamento) e a aquisição de matrizes e reprodutores (limite de R$ 1 milhão por beneficiário com até cinco anos para pagamento, sendo dois de carência), com o intuito de aumentar a oferta de carne.

O vice-presidente da Acrimat (Associação dos Criadores de Mato Grosso), Guilherme Nolasco, destaca que o setor da pecuária se sente atendido com as três linhas disponibilizadas. Como explica, uma linha para retenção era solicitada em virtude da evolução no abate de fêmeas nos últimos dois anos e consequentemente a escassez de bezerros. “Houve uma participação muito grande de fêmeas nos abates dos últimos dois anos. Agora passamos por um momento de alta no preço dos bezerros justamente porque houve redução na oferta. Com esta linha garantimos aos pecuaristas uma alternativa de renda, ao mesmo tempo que mantém as matrizes no rebanho”.

Porém, de acordo com Nolasco, o PAP ainda destina 72% para custeio e comercialização e como a pecuária é uma atividade de longo prazo, seria preciso dar atenção maior para linha de investimento. “Precisamos de investimentos em tecnologia para fazer recuperação e reforma de pastagem nas áreas que serão integradas à lavoura. Reivindicamos mais linhas de médio e longo prazo”.

O PAP 2014/15 irá disponibilizar R$ 156,1 bilhões, 14,7% a mais do que os R$ 136 bilhões da safra 2013/14. Deste total, R$ 112 bilhões são para financiamentos de custeio e comercialização e R$ 44,1 bilhões para os programas de investimento.

Fonte: Portal Rural Centro, Campo Grande/MS